Hoje nossa economia se baseia na linearidade, mas o que isso significa? A economia linear é o que o próprio nome indica: extração de recursos, produção, consumo, lixo.. e acabou! É linear, tem um fim. Há 150 anos isso era uma grande realidade inovadora, mas tudo o que é linear precisa acabar, e hoje ser atual não é ser linear. Os recursos não podem mais simplesmente virar lixo, então para onde vai tudo isso?

É nesse ponto que entra a Economia Circular, porque ela traz um novo mindset para toda essa bagunça em que estamos vivendo. Trata-se de dar um fôlego ao planeta Terra, buscar novas maneiras de gerar valor ao nosso consumo desenfreado, buscar ideias inovadoras, com design inovador.

A circularidade é a busca por utilizar as nossas ferramentas, metodologias e conhecimento em recursos de alto valor agregado, buscar novas possibilidades, caminhos e significados para nossa atual cultura de descarte, ou seja, a linear.

A economia circular tem visto um aumento significativo no interesse das empresas ao longo dos últimos anos e continua a ganhar impulso constante, pois não se trata de uma simples “modinha”, na verdade é o caminho mais seguro para continuar. O que a realidade mostra é que os nossos recursos estão se esgotando.

É o mesmo que dizer que estamos no limite e se não procurarmos novos caminhos de continuidade, não teremos um planeta decente para viver!

A Economia Circular é um processo, é a evolução do que vivemos hoje, assim como foi na II Revolução Industrial. Estamos passando por mudanças enormes e a nossa forma de pensar o consumo, os recursos, a produção precisam acompanhar essas mudanças. Muitos mencionam o termo “economia circular” ou “princípios circulares” sem realmente explicar o que eles significam.

A Circle Economy mapeou vários termos e definições usados por mais de 20 organizações – ONGs, agências governamentais, universidades, consultorias, etc.

Depois de interpretar e agrupar esses vários termos, surgiram 7 elementos-chave que definem a maioria dos termos ligados à economia circular. Veja:

Priorizar os Recursos Regenerativos
Garantir que recursos renováveis, reutilizáveis e não tóxicos sejam utilizados como materiais e energia de maneira eficiente.

Preservar e estender o que já foi feito
Enquanto os recursos estão em uso, mantenha, repare e atualize-os para maximizar sua vida útil e dar-lhes uma segunda vida através de estratégias de devolução, quando aplicável.

Utilizar do desperdício como um recurso
Utilize fluxos de resíduos como fonte de recursos secundários e recupere resíduos para reutilização e reciclagem.

Repensar o modelo de negócio
Considere oportunidades para criar maior valor e alinhar incentivos por meio de modelos de negócios que se baseiam na interação entre produtos e serviços.

Design para o futuro
Dê conta da perspectiva dos sistemas durante o processo de design, para usar os materiais certos, projetar para uma vida útil apropriada e projetar para uso futuro prolongado.

Incorporar Tecnologia Digital
Acompanhe e otimize o uso de recursos e fortaleça as conexões entre os agentes da cadeia de fornecimento por meio de plataformas e tecnologias digitais e on-line que fornecem insights.

Colaborar para criar valor conjunto
Trabalhar em conjunto ao longo da cadeia de fornecimento, internamente nas organizações e com o setor público para aumentar a transparência e criar valor conjunto.